News

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Divulgação: Apresentação de "O Efeito Marcelo: o comentário político em televisão" e outros retratos da Fundação Francisco Manuel dos Santos


















O Efeito Marcelo: o comentário político em televisão

| Rita Figueiras

O livro

Uma vez trouxe um leitão para o estúdio. Noutra, foi uma torta gigante e o respectivo pasteleiro. Com um discurso pedagógico e simples e dotes de entertainer, Marcelo Rebelo de Sousa democratizou o acesso à opinião esclarecida e massificou um produto de nicho. Durante 15 anos, a sua aparição dominical tornou-se a medida-padrão do comentário televisivo. Ainda hoje, nenhum comentador escapa à comparação, nenhum media ou político ignora a força do formato.

Mas quem são os sucessores do “Professor”? Como encaram a sua função e que temas privilegiam? Por que motivo tão poucos são mulheres? Que espaços têm à disposição? Com que distribuição partidária? Este livro analisa a evolução do comentário político na televisão portuguesa. Que é como quem diz, o “efeito Marcelo”.

A autora
Rita Figueiras é doutorada em Ciências da Comunicação, Professora Associada da Universidade Católica Portuguesa, onde leciona na licenciatura, mestrado e doutoramento em Comunicação. O seu trabalho centra-se na relação entre os media e o poder, desenvolvendo investigação na área da Comunicação Política, Economia Política dos Media e Jornalismo Político. Tem uma vasta obra sobre o comentário e os comentadores.

A apresentação 
19.02 | 17h | Livraria da Universidade Católica Portuguesa, Lisboa
Apresentado por Diogo Queirós de Andrade
Moderado por Carla Caldeira (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura UCP)














Cientistas Portugueses

| David Marçal

O livro ​
Em Portugal a Ciência cresceu de forma rápida e inédita nas últimas décadas. Temos hoje mais investigadores científicos do que nunca (e cerca de metade são mulheres), cujo trabalho tem muito mais impacto do que antes. Mas o seu estatuto profissional diminuiu.

Só uma ínfima minoria dos doutorados consegue entrar para os quadros de uma universidade. Para os outros a vida é semelhante à de um futebolista: têm de estar no clube certo em cada momento, poucos atingem um elevado grau de reconhecimento e a carreira pode estar acabada antes dos 40. Este livro traça um retrato vívido de quem faz investigação científica por cá. O que os motiva a ficar no país ou a partir? Como conjugam a paixão pela ciência com a vida pessoal? Eis do que falamos quando falamos de cientistas portugueses.

O autor

David Marçal é doutorado em Bioquímica pela Universidade Nova de Lisboa. Redactor científico na Ciência Viva e coordenador da rede GPS (Global Portuguese Scientists). Autor de centenas de artigos na comunicação social, de espectáculos, de programas de rádio e de televisão, sobre ciência, e de livros de divulgação científica, entre outros, o ensaio “Pseudociência”, editado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos.

A apresentação
20.02 | 18h | Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra
Apresentado por Nuno Ferrand  (CIBIO-InBio)
Moderado por Catarina Carvalho









Arquive-se

| Rita Almeida de Carvalho

O livro ​

Arquive-se! A ordem parece simples e é seguramente muito comum. Na prática, são a organização e o acesso dos documentos arquivados - os “laboratórios da História” - que determinam o seu papel na compreensão da nossa história. Portugal progrediu significativamente no domínio dos arquivos, mas investigadores e arquivistas concordam que muito está ainda por fazer.

Sabia, por exemplo, que um tratamento adequado da documentação arquivada pela Administração Pública, preservando apenas a que tem valor probatório ou histórico, resultaria numa poupança de cinco milhões de euros só em instalações?

Numa abordagem crítica, a autora deste livro parte da análise de casos e circunstâncias, do testemunho próprio e de colegas historiadores e arquivistas, para radiografar a gestão do património arquivístico nacional. Diz-nos que nem tudo está bem, e explica porquê.

A autora

Rita Almeida de Carvalho é doutorada em História Contemporânea e investigadora no ICS-UL - Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Trabalha sobre o Estado Novo e actualmente estuda a associação entre arquitectura e política, procurando analogias e conexões entre o salazarismo e outras ditaduras de entre-guerras. Paralelamente, tem-se dedicado à arquivística e é responsável pelo Arquivo de História Social do ICS-UL.

A apresentação
08.03 | 19h | El Corte Inglés, Lisboa
Apresentado por Silvestre Lacerda  (director-geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas)
Moderado por Isabel Salema

Sem comentários:

Formulário de Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Arquivo do blogue